sexta-feira, 25 de março de 2011

Conto-vos a minha receita...


A Laranjinha lançou o desafio e eu gostei da ideia. Remexer na memória para encontrar "a" receita que mais povoa a nossa infância. E que se situasse nas décadas de 60 ou 70. E eu que nasci bem a meio da década de 70... Já a publiquei aqui, e até a contextualizei do mesmo modo, referindo a importância que tinha (e tem) nos momentos especiais da nossa família. O Bolo Chiffon de Chocolate tinha essa capacidade de estar omnipresente em tudo quanto merecia festejo. E nessa década de 70 e mais tarde na de 80, aniversários e outras festividades como uma final dos "Jogos Sem Fronteiras" (lembram-se?...) ou um "Festival da Eurovisão" eram assinalados com este bolo. Lembro-me até de um S. João muito orvalhado, em que as restrições de viver em apartamento tinham impedido o assar das sardinhas e, em alternativa, comeu-se um Bolo de Chiffon de Chocolate inteirinho, à varanda, envoltos em mantas e a beberricar Vinho do Porto, enquanto assistíamos ao lançamento dos foguetes e dos balões de S. João.



Mas como tinha surgido essa receita na família? Fui indagar... Uma amiga tinha-a passado à minha mãe, no final da década de 60 / início da década de 70. A receita foi transcrita, pela mão da minha mãe, no seu caderno de receitas, cuja imagem reproduzo. As três cruzinhas à frente do nome da receita eram sinal de que o bolo era mesmo bom (a classificação máxima na escala da minha mãe!...)! E era feito na casa dos meus avós com alguma regularidade. Entretanto a minha mãe começou a namorar com o meu pai. Namoros à antiga, que exigiam horas certas e encontros vigiados. Muitas das horas de namoro eram passadas na casa dos meus avós, e bem controlados... Escapavam-se as idas à cozinha, em que a minha mãe se propunha fazer um bolinho para o lanche e o meu pai, solícito, a ajudava na tarefa. Escusado será dizer que o bolo de chiffon de chocolate passou a ser feito semanalmente na casa dos meus avós!...

Os primeiros bolos de chiffon de chocolate devo tê-los comido feitos pela mão da minha mãe. Entretanto, o meu pai revelou-se um cozinheiro e doceiro de mão cheia, pelo que as minhas memórias são compostas por imagens do meu pai na cozinha à volta da preparação de tão distinto bolo. Se nos portássemos bem até tínhamos o direito de rapar a tigela da massa!... Mais tarde, também a minha irmã o passou a fazer. Tão bem como o meu pai. E, talvez por isso, eu nunca me tinha "atrevido" a fazê-lo. Era, como explicar, algo que pertencia ao pelouro deles, e que eu não ousava experimentar. Até ao momento em que criei o Blog. E o fiz como bolo de aniversário de um dos meus filhos, em 2010. Afinal as tradições da família são para perpetuar... E esta vale mesmo a pena!... Conto-vos a minha receita e ofereço-a com carinho...

Ingredientes

175 gr de farinha (1 e 3/4 de chávena de chá)
1/2 de chávena de chá de óleo
3/4 de chávena de chá de cacau
2 colheres de chá de fermento
3/4 de chávena de água a ferver
1/4 de colher de chá de bicarbonato
1/2 colher de chá de baunilha
300 gr de açúcar (1 e 3/4 de chávena de chá)
7 ovos
uma pitada de sal fino

Preparação

Dissolver bem o cacau na água a ferver. Na taça da batedeira, colocar a farinha previamente misturada com o fermento, abrir um buraco e juntar todos os ingredientes, à excepção das claras e do bicarbonato. Bater à mão por 30 minutos (outros tempos!...) ou na batedeira por 10 minutos. Bater as claras em castelo com o bicarbonato e envolvê-las delicadamente na massa. Vai ao forno em forma grande sem untar. Levar a cozer, a 170ºC e em forno previamente aquecido, por 50 minutos. Voltar sobre um prato e só desenformar depois de frio.

Bom Apetite!

20 comentários:

♥♥ belinhagulosa ♥♥ disse...

Muito bonita a tua história amiga,muito mesmo,bjokinhas

dryka disse...

Humm!!!

Que bom aspecto já ia uma fatia...
Historia bem bonita, as n/origens també sei muitas da minha family ;)))))

Bjinho
Claudia

Cidália disse...

O que eu gostei da tua história. Aqueceu-me a alma logo de manhã.
O bolo deve ser uma delícia.
Beijinhos

Anónimo disse...

Tão lindo!

Ass. Babalu

Crocodilo dundee disse...

Querida Babette,
Consegues sempre te revelar, sempre fabulosa...
Uau!

Beijinhos com imensas saudades do outro lado do mundo (neste momento ja e noite de sexta feira e estou prestes a ir jantar, pelo que o apetite se multiplicou depois deste momento!)

Sandra disse...

A que temperatura cozes o bolo?

Obrigada

Babette disse...

Sandra:
Coze no 170ºC. Vou acrescentar isso à receita....
Babette

Mar disse...

Olá, minha Babette:)

Uma receita que vem de tão longe. Um percurso feito de coisas que passam de mão em mão. De caderno para caderno. Muito lindo, o que aqui partilhaste. As histórias que surgem em torno de um bolo. Os afectos. As gerações que ficaram marcadas. Não por uma coisa de grande dimensão. Não por um acontecimento incontornável. Não por coisas excepcionais. Por um bolo de chocolate. Um bolo muito simples de chocolate.
A mim, o teu bolo faz-me lembrar as tardes intermináveis com as minhas amigas de adolescência, a preguiçar no Verão, junto à piscina. Bolo de chocolate e sumo de laranja no Verão. Bolo de chocolate e café inofensivo no Inverno. Coisas assim. Pequeninas. Mas grandes na memória afectiva que vamos construindo. A propósito de receitas e de todos os momentos passados à mesa. Seguramente, alguns dos melhores das nossas vidas.

Não desejo bom fim-de-semana. Digo até amanhã:)

Beijo.

Mar

turistaocasional disse...

Adorei a tua história acerca deste bolo, e sobretudo a forma como a constaste.

Um bolo com uma história assim, e com uma carga emocional como descreveste só pode ser fantástico.

Beijinhos e óptimo fim-de-semana

Cinha disse...

Maravilha de História!
O bolo deve ser mesmo bom!
Beijinhos grandes.

Filipa disse...

Olá! Eu não tirei foto à minha receita que, tal com a tua, está numa caligrafia desenhada e cheia de nódoas...no caso da minha, de gordura! Excelente ideia! Adorei o teu bolo e a tua história....um beijinho e bom-fim-de-semana :)

Carla disse...

Boa tarde.
Só queria deixar um obrigada pela oferta...da história da receita e da receita...
Beijinhos e bom fim de semana.
cristina

Laranjinha disse...

Babette,
adorei o livro de receitas, as três cruzes a indicar que era bom e a história desse bolo na família tem imensa piada. Gostei muito. Parabéns.

Muito obrigada pela tua participação.
Um beijinho.

ameixa seca disse...

Eu uso 3 + em vez do x :) Belo bolo!

Cantinho da Jana!!! disse...

essas revceitas passadas de geração em geração são muito melhores pois são carregads de historia e carinho...
adorei a receita

bjim

Aussie disse...

fixolas!!!!!

Graça Rosa disse...

Parece ser muito bom!

Bjs

moranguita disse...

que linda historia e o bolo ainad e mais bonito.
beijinhos

gasparzinha disse...

Três cruzinhas para o teu post! Adorei o bolo mas mais ainda a história: romance na cozinha. :)
Beijinhos

Filha+Mae na cozinha disse...

Belo bolo
Ola chamo me Mariana e estou a iniciar me nesta "coisa" dos blogs.Eu gostava de saber como se pode entrar nos desafios que eu vejo por ai.
Sera que assim vao mais pessoas ver o meu blog.
Nao queria parecer desesperada mas ainda quase que ninguem foi la.
Desculpe pelo incomodo , bjs tem receitas maravilhosas no seu blog.